gestão de energia

Como e por que praticar Gestão de Energia Elétrica? (Parte 2)

Posted on Posted in posts

No artigo anterior foi explicada a importância da gestão de energia para para a redução de custos em qualquer processo, seja ele fabril ou não. Foram identificadas quatro etapas importantes para que esta seja colocada em prática. Neste artigo, iremos descrever mais a fundo cada uma dessas etapas: Medir, Encontrar Oportunidades, Atuar e Acompanhar.

Medir

Como regra geral: quanto mais dados se possa medir, e quanto mais detalhados forem, melhor.

A velha abordagem para coleta de dados é ler manualmente uma vez por semana ou uma vez por mês. Esta é uma tarefa árdua, e os dados semanais ou mensais não são tão bons para serem interpretados quanto os dados que vem de forma fácil e automática.

Atualmente a coleta de dados de energia deve se adequar ao dinamismo dos sistemas de produção, realizando aquisições de grandezas elétricas a taxas cada vez maiores, na ordem de minutos ou até segundos. Essa aquisição é realizada por módulos automáticos de medição, que podem inclusive enviar estes dados automaticamente para a nuvem.

Os dados detalhados de consumo de energia permitem encontrar padrões de desperdício de energia que seriam impossíveis de outra forma. Por exemplo, simplesmente não é possível através de leituras semanais ou mensais do medidor encontrar a quantidade de energia que está sendo usada em diferentes horários do dia ou em diferentes dias da semana. Quando vemos esses padrões se torna muito mais fácil encontrar oportunidades de melhoria.

Encontrar Oportunidades

Os dados coletados são de extrema importância para ajudar a localizar e a quantificar as oportunidades de economia. Existem diversos tipos de oportunidades que podem ser encontradas, e geralmente, é possível atingir certo nível de melhoria com investimento bem baixo ou até mesmo nulo.

Por exemplo, um grande número de edifícios possui sistemas avançados de controle de ar condicionado (os chamados HVAC), mas não têm uma equipe especializada para monitorar, ou o próprio equipamento não  foi calibrado de maneira precisa e a ponto de aproveitar ao máximo as vantagens do sistema. Assim, uma economia muito grande poderia ser atingida apenas com a melhor compreensão do sistema de ar condicionado.

Com estes dados de consumo também é possível detectar padrões de uso e consequentemente os desvios do padrão que podem significar uma falha inesperada. Isto inclui até mesmo gastos que não deveriam existir, como alto consumo energético em períodos ociosos de produção.

Atuar

Mas não basta encontrar os problemas e ineficiências no uso de energia, é preciso agir no sentido de reduzir ou eliminar seus efeitos. Em grande maioria dos casos é possível alcançar redução significativa dos gastos apenas com a gestão dos dados de consumo. Por gestão, entende-se o uso destes dados com o objetivo de otimizar estrategicamente o uso da energia elétrica. Com a medição contínua e perene, é possível gerir o custo de energia  como qualquer outra matéria prima (plástico, por exemplo), adicionando-se assim números importantes na estrutura de custos e gerando base para as ações dos tomadores de decisão.

Quanto às oportunidades que demandem a troca ou manutenção de equipamentos, outros fatores entram em jogo, como o custo e o payback do investimento a ser feito. Uma análise financeira é necessária para se concluir a viabilidade ou não de se prosseguir com o projeto.

Acompanhar

Depois de tomar medidas para economizar energia, é importante descobrir o quão eficazes foram as ações e se as melhorias irão perdurar. Aqui surge a necessidade de manter a medição de uso de energia para alimentar constantemente esta fase.

  • As medidas que provêm de mudança comportamental precisam de atenção contínua para garantir que permaneçam efetivas e alcancem seu potencial máximo.
  • Se dinheiro foi investido com novos equipamentos, a medição contínua irá ser necessária para mostrar as economias geradas por esse investimento.
  • Se apenas configurações de equipamentos foram alterados, será preciso manter a verificação para garantir que tudo ainda esteja funcionando como deveria. Coisas simples como um corte de energia podem facilmente fazer com que os equipamentos voltem às configurações de fábrica.
  • Acompanhamento evidencia que as melhorias geraram efeito e estão gerando economia na cadeia produtiva. Por outro lado, pode ser também que o acompanhamento mostre que o projeto não surgiu efeito e não vale a pena ser mantido.

Vimos nesses dois artigos a importância de uma ferramenta de medição de consumo energético e as possibilidades que esta podem gerar quando buscamos implementar melhorias nos mais diversos consumidores.

Se você quiser compartilhar:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *