Skip to content

Consumo de Energia na Indústria Têxtil

O que podemos destacar sobre o consumo de energia na indústria têxtil em 2021? A produção têxtil foi marcada por aumentos drásticos no consumo em 2021 em relação ao ano de 2020, como o período de Abril/2021, no qual registrou alta de 98,2% em comparação com o mesmo mês do ano anterior, se tornando um dos setores mais afetados pela pandemia. Esse foi um dos momentos de 2021 em que o aumento do consumo se deve ao crescimento da produção, depois de meses instáveis pela pandemia. Porém, é o momento de ficar atento em relação a sua gestão de energia, digamos que “com a força total” está num momento crucial para começar e vou contextualizar o porquê.

Como funciona um processo têxtil?

Para entendermos melhor de onde pode vir o alto consumo de energia na indústria têxtil, é necessário dividir um pouco os processos de fabricação. Entender se o maior consumo está na etapa de fiação, por exemplo, ou até mesmo na etapa de acabamento. Então, para entrarmos em sintonia quando o assunto é o funcionamento da produção têxtil, irei introduzir algumas etapas que podem fazer parte do seu processo:

Alguns exemplos:

1) Fiação: produção de fios ou filamentos através de fibras (seja sintética, artificial ou natural), que serão preparados para a etapa da tecelagem;

2) Tecelagem: etapa na os fios são entrelaçados, ocorrendo a fabricação de tecidos planos ou tecidos de malha (malharia) e de tecnologia de não-tecidos; 

  • A fiação + a tecelagem são as principais etapas para o aspecto de como ficará a malha do produto. Para uma produção de roupas íntimas, por exemplo, essas 2 etapas serão cruciais para manter a qualidade do tecido, um dos maiores fatores de compra.

3) Acabamento: operações que conferem ao produto conforto, durabilidade e propriedades específicas; 

4) Beneficiamento: Diversos processos que trabalham no refinamento dos produtos têxteis – alvejamento, tinturaria, estamparia ou conferindo a esses produtos a cor desejada, por exemplo.

Ainda existem algumas etapas que podem estar no seu processo produtivo, mas não estejam citadas aqui, afinal cada empresa possui seu processo personalizado de acordo com o seu produto e método de produção, então para contextualizarmos da melhor forma, destacamos algumas das mais comumente encontradas no mercado.

Consumo de energia por setor da indústria

Entendido como que funciona o processo de modo geral de uma indústria têxtil, vamos para a parte que interessa, como é dividido o consumo de energia em uma produção têxtil?

Existem várias fontes energéticas, entre elas: energia elétrica, óleo combustível, lenha e gás natural. Sendo a principal fonte das indústrias atualmente, vamos focar apenas no consumo de energia elétrica na indústria têxtil.

O objetivo é mostrar de onde vêm os principais gastos,  para ficar algo mais prático e fácil de entender. Vou usar alguns números de uma empresa cliente da CUBi do ramo têxtil, em uma análise de consumo de 1 mês:

Distribuição do consumo (kWh) por setor X usos finais para cada seção

No consumo total, existe uma certa dominância na etapa de fiação, representando quase 55% de todo o consumo de energia da indústria nesse período. Lembra daquele sinal de alerta que eu falei no começo? Bom, esse é um dos momentos para começar a avaliar como podemos melhorar a eficiência nesse alto consumo de energia! Para ficar mais fácil, vamos transformar a tabela acima na porcentagem que cada setor representa no consumo:

grafico Distribuição do consumo de energia textil
Distribuição do consumo (kWh) por setor 

Podemos descer o nível da análise ainda mais, por máquina! Por exemplo, se a fiação é a seção que mais consome, quais as máquinas são as responsáveis por consumir mais energia elétrica?

Muitas vezes quando olhamos o número de consumo de máquinas como a do exemplo, pode-se achar “normal” tal consumo, porém em muitas situações o processo não está sendo eficiente, energeticamente falando. Situações onde a estrutura do maquinário já está defasada, ou até mesmo considerar o fato de produzir em horário de ponta e fora de ponta interfere quando falamos no preço da fatura de energia.

O gráfico abaixo nos dá a noção do consumo da máquina, em compensação a outros usos finais da energia:

grafico Distribuição do consumo por seção
Distribuição do consumo (kWh) por uso final para cada seção

Visto todo esse processo de análise do consumo, o pensamento que deve estar ligado no momento é: como posso diminuir esse consumo? Deixar ele mais eficiente?

É aí que entramos com a Gestão de Energia! 

Benefícios de fazer uma gestão de energia

Podemos falar agora dos benefícios ao começar a Gestão de Energia, que entre eles está: Aumento do Nível de Organização e Tecnologia, Resolução de Problemas de forma Rápida e Redução de Custos.

Para tal resultado acontecer, existem certos métodos de como fazer uma gestão de energia da forma ideal para sua empresa (a própria CUBi possui clientes do ramo têxtil!) e ferramentas que podem ser utilizadas para que se possa medir as variáveis, encontrar oportunidades, atuar no problema e acompanhar resultados. 

Peça uma Demonstração!

Possuir um software de Gestão de Energia capaz de conectar sua empresa e seus equipamentos, acompanhar indicadores em um monitoramento em tempo real, otimizando seu tempo e recursos são apenas alguns pontos que devem estar no seu planejamento, para que obtenha os melhores resultados.

Para finalizar, 2 exemplos práticos em relação às práticas de gestão de energia:

  • O monitoramento em tempo real é uma das formas mais rápidas e práticas para poder ter diversos dados do seu consumo de energia e acompanhar diversas análises de fator de potência, demanda de ultrapassagem de energia e até mesmo alertas para não tomar multa dessa ultrapassagem! Isso tudo apenas analisando o consumo através do painel de energia da sua indústria.
  • Lembra na tabela lá em cima, que mostramos o consumo de máquinas e filatórios? Então, aquilo é possível graças a Submedição de Energia (um próximo passo em relação ao ponto de cima), no qual é possível analisarmos o consumo bem mais de perto e ver detalhes que geralmente não são percebidos, como por exemplo ficar ciente se um maquinário X está sendo menos eficiente do que todos os restantes da indústria.

Ficou na dúvida de algo ou acha que se encaixa na situação do artigo? Fique à vontade para chamar nossa equipe e ver como podemos melhorar a sua eficiência energética!

Peça uma demonstração das análises e insights que pode-se ter da sua produção!

Fabiano Fabricio

Analista de Marketing da CUBi Energia Graduando de Design no Instituto Mauá de Tecnologia.

Leave a Reply

Your email address will not be published.